Espiritualidade – a leveza de experimentar o desenvolvimento de sua alma

esp001

A espiritualidade não depende de alguma doutrina, só do seu despertar.
Quando se respeita a si mesmo, ao próximo e à natureza; e se tem a noção clara que nada acaba com a morte do corpo, temos a compreensão da consciência espiritual.
A consciência é uma energia infinita; é a base de toda a verdade. Ela bem suprida e alimentada com valores, provoca pensamentos positivos que vão gerar uma vida ativa compensadora. Eles criam e transformam a sua realidade.
Portanto, só para definir prioridades, primeiro temos que fortalecer, desenvolver, nosso ser interior para atuar no exterior com equilíbrio e com dedicação, fazendo dos outros nossos alvos para contribuir positivamente nos relacionamentos.
Para quem não tem o hábito de voltar-se para dentro, de manter uma comunhão com o Divino, não compreende que sua felicidade depende de uma harmonia pessoal e intransferível.
É necessário conhecimento, o reconhecimento, a fé racional que dá a convicção e a segurança de estar procurando a união com Deus, única forma de estar ligado ao Todo.
Assim viverá em harmonia em seus relacionamentos e compreenderá que deve aceitar cada pessoa como ela é.
Isto não tem preço, porque não pode ser comprado. Não se adquire esse equilíbrio sem esforço, sem tenacidade.
O espírito é a base de nossa estrutura holística, não se pode deixar de fortalecê-lo continuamente.
Um dos grandes obstáculos é a dúvida, pois as pessoas aceitam a existência de um Ser Supremo, mas vivem como se Ele não existisse. Creem que possuem uma alma imortal, mas não sabem como estar conectado a ela.
Então é preciso se voltar ao espírito; orar e meditar. Muitos se perguntam:
– o que é meditar? Agradecer a Deus? Perdoar a quem nos causou mal? Que ingenuidade é essa?
Grande parte ainda vive dentro da lei antiga: a pena de talião.
Se alguém me fez mal, é justo que eu me vingue.
Isso é a antítese do amor incondicional. À medida que se alimenta o ódio, a raiva, a intriga, só se está atraindo para si o resultado desses sentimentos.
Uma das grandes alegrias da vida é trazer Deus para o seu dia a dia. Parece utopia. Parece uma palavra, um termo, um poder fora do indivíduo, mas é no silêncio e na oração que terá mais condições de se aproximar da Divindade.
Como seria permanecer no silêncio? Sua alma possui essa capacidade inata para a conexão. Não é ficar só num local livre de qualquer som (rádio, TV, computador, etc.), é silenciar a mente dos pensamentos. Alcançar o vazio. E aí sim, orar com suas palavras. Converse com Deus sobre qualquer assunto que o aflige, jogue o problema para Ele. Acostume-se a confiar, é o primeiro passo.
Não é fácil, eu sei. Existe muita literatura sobre isso. Mas como executar um procedimento para “acordar”?
Evite sua constante preocupação com as coisas, isso lhe tira o tempo para parar e refletir sobre a sua espiritualidade. Procure conservar uma vida calma, tranquila, que flua sem problemas financeiros, sem atritos nos relacionamentos.
Esta é a chave para despertar. É da sua consciência que vai obter a energia para o seu fortalecimento. Mas é através do silencio que poderá acessá-la. Logo, é muito importante acostumar-se a ficar alguns minutos sozinho para habituar-se a permanecer no vazio.
No livro: Conversando com Deus para jovens diz: “A espiritualidade, em sua forma mais livre, não exige que você acredite em coisa alguma. Ao contrário, ela está continuamente convidando você a observar sua própria experiência. Sua experiência pessoal vira sua autoridade, em vez de ser alguma coisa que alguém lhe disse.”
Mas para sentir que sua experiência lhe traz sensações em forma de insights, é preciso que esteja vivendo no aqui e agora. O ontem já passou e o amanhã ainda não existe.
Compreenda que o ser vem antes do ter e que a alegria de viver só advém quando existe uma comunhão harmoniosa dentro de você.
Comece a fazer uma reflexão todas as noites, por alguns momentos e pense: quem sou e por que estou aqui?
Vivemos num mundo relativo e para compreender a polaridade existente, temos que ir fundo para saber que é nessa dicotomia que vamos nos conhecendo e construindo nossa personalidade e evoluindo.
E por isso, a dúvida a que nos referimos acima. Ao nascer lhe foram dados verdadeiros presentes: talentos, privilégios, inteligência, oportunidades, visão, intuição, grandeza para que você possa exercer a liberdade e a capacidade de escolhas. Através desse livre arbítrio, você pode desenvolver-se metodicamente.
Aliás, a compreensão desse dom incomensurável afasta os conceitos estreitos, bitolados da “mentalidade da vitimização e da cultura da culpa”. É sua escolha que causa a sua realidade. Evite que ela seja feita de forma inconsciente, pois assim colherá seus efeitos e o sofrimento fará parte de sua vida.
Ao usar com consciência esses princípios, saberá que é uma trilogia:
cuida do corpo e das emoções com conhecimento; a mente cresce amplamente e o espírito é evoluído continuamente.
Porém, se não lhe dá atenção esquece os presentes, entorpece-os, abafa sua voz interior e a vida parece uma verdadeira gangorra, cheia de altos e baixos, ora o prazer, ora a dor.
Procure o silêncio, repito, livre-se durante alguns minutos diários, de qualquer espécie de som, feche os olhos e busque permanecer recolhido ao seu interior.
Experimente, permita-se explorar o vazio e livrar-se de todo e qualquer pensamento, por um curto período de tempo.
Afinal, você vai ser um humano que age; e não um “robô” humano que reage.
Os condicionamentos são tantos e a inércia mental impede que você vislumbre seu estado de dependência.
Por que pessoas raivosas gritam, mesmo estando perto uma da outra, pergunta um sábio a seus discípulos? Eles não conseguiram definir o motivo correto. Então o sábio lhes disse: “Porque seus corações se distanciaram tanto – um do outro – que precisam gritar para serem ouvidos.”
E depois, tornou a perguntar-lhes: Por que os enamorados falam baixinho e às vezes só se olham e se compreendem? “Porque seus corações estão pertinho um do outro.”
Eis o segredo para desenvolver sua espiritualidade: ela é uma qualidade essencial, ligada à alma e não se perde e nem se ganha.
Quando existe o amor incondicional dentro de você e ele é praticado constantemente, você descobre que o amor e Deus são a mesma coisa.

Assim vivencia a espiritualidade e através de sua experiência humana se une a sua essência.
Por isso temos insistido em alertar para as prioridades. Primeiro temos que SER, depois, temos que FAZER e afinal, vamos em busca do TER. A inversão dessa ordem ocasiona uma vida cheia de altos e baixos, ora a dor, ora o prazer, mas jamais a alegria autêntica de viver.
Esta consciência lhe permite decidir com antecedência como vai ser o momento seguinte de sua vida. Basta decidir de antemão ser sempre pacífico, amoroso, compreensivo, generoso, magnânimo sem se importar como o presente exterior se apresenta você domina aquele momento.
Por que? Porque você pode ter paz e harmonia, independente do que o mundo exterior esteja fazendo. E a “maravilhosa ironia disso – diz Neale Walsch – é que aquilo que o mundo exterior está fazendo geralmente será afetado por aquilo que você está sendo.”
Por isso a importância da frase de Gandhi: “Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho.”
Nossa atitude é quem provoca a reação. Mudemos nossa atitude, não alimentemos a discórdia e nem julguemos prematuramente que as coisas se revelarão muito diferentes para nós.
Experimente a espiritualidade, exerça-a com assiduidade que colherá benefícios em todas as áreas de sua atuação e em todos os papéis que representa na vida.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *